Uma não conformidade envolve todas as situações inesperadas e indejáveis que atrapalham o bom resultado esperado pela empresa. Realizar o gerenciamento dessas não conformidades é extremamente importante para obter qualidade e consequentemente excelência nos serviços prestados pela organização.

Pensando nisso, o Tracker foi desenvolvido com o intuito de promover a gestão de Não Conformidades, onde é possível obter melhorias dentro da organização, permitindo que o alcance do nível de qualidade desejado e as certificações pelos orgãos nacionais e internacionais pretendidos.

Ciclo de Tratamento de Não Conformidades

Com o Tracker encontra-se a causa raiz das não conformidades com mais facilidade por meio de ferramentas auxiliares como: Método dos 5 Por ques e Diagrama de Ishikawa (Espinha de Peixe)

Cadastrar um plano de ação no Tracker é um processo simples que permite a correção das NCs através de ações imediatas, corretivas ou preventivas, trazendo melhorias que ajudam a diminuir a quantidade de novas ocorrências.

Após a conclusão das ações e realização da verificação de eficácia, você padroniza e divulga as ocorrências tratadas tanto para usuários do sistema quanto para outras pessoas. O processo segue o ciclo PDCA, o que faz da melhoria contínua uma realidade nas organizações.

Planos de ação
  • Utilização de ferramentas como Diagrama de Ishikawa e Método dos 5 Porquês
  • Acompanhamento completo e controle das não conformidades
  • Envio automático de notificações por e-mail
  • Maior comprometimento de todos os envolvidos
  • Segurança e agilidade no acesso às informações
  • Controle de prazos e resultados das ações corretivas e preventivas
  • Velocidade e qualidade na tomada de decisões
  • Notificações de ocorrências e ações atrasadas
  • Relatórios prontos a um clique
  • Prevenção de novas não conformidades
Ciclo PDCA

O ciclo PDCA é uma ferramenta utilizada para a prática do controle de processos e para a solução de problemas, sendo considerado modelo de referência para planos de melhoria de processos, proporcionando uma linguagem clara na melhoria contínua da qualidade (CAMPOS, 1991). Neste sentido, a análise e medição dos processos são essenciais para a manutenção e melhoria dos mesmos, contemplando inclusive o planejamento, padronização e a documentação deste.

Segundo Martins e Laugeni (20052) o ciclo PDCA consiste em quatro passos:
P (plan - planejar): seleção de um processo, atividade ou equipamento que necessite de melhoria, com medidas claras para obtenção de resultados;
D (Do - fazer): implementação do plano elaborado e acompanhamento de seu progresso;
C (check - verificar): análise dos resultados obtidos na execução do plano, e se necessário, avaliação do plano;
A (act - agir): caso tenha obtido sucesso, o novo processo é documentado e se transforma em um novo padrão.

PDCA
Diagrama de Ishikawa

O Diagrama de Ishikawa, ou Espinha de Peixe, proposto originalmente na década de 60 por Kaoru Ishikawa, é uma ferramenta gráfica que possibilita identificar e direcionar as causas de um efeito, analisando todo o processo organizacional.

Segundo GRAEM e PEINADO, é uma representação gráfica que auxilia na identificação, exploração e apresentação das possíveis causas de uma situação ou problema específico, representando a relação entre o efeito de todas as possibilidades de causas que contribuem para esse efeito. Para cada um dos efeitos existem inúmeras causas dentro das categorias, onde através de uma lista de possíveis causas, as mais prováveis são identificadas e selecionadas para uma melhor análise.

“O diagrama de causa e efeito é usado para dispor de forma gráfica o relacionamento entre as causas e o efeito (problema)”

(AGUIAR, 2002)

Ishikawa
Método dos Cinco Porquês

O Método dos 5 Porquês, desenvolvido na década de 80 no sistema Toyota de Produção, tem o objetivo de encontrar a causa raiz de um problema através de perguntas que questionem o “Porque” de uma ocorrência, sempre questionando a causa anterior.

Através deste método é possível tratar a real causa de um problema e dessa forma evitar decisões intermediárias e não eficaz.

“O ‘5 Porquês’ é uma técnica utilizada para encontrar a causa raiz de um defeito ou problema. O fato desta técnica ser chamada de 5 Porquês não significa que tenha que ser necessariamente cinco perguntas para se chegar à causa fundamental, podendo ser ‘mais’ ou ‘menos’ que cinco, o que depende muito do efeito indesejado que está sendo analisado. Esse número é baseado no fato de que estatisticamente na maioria dos casos, se consegue chegar à causa fundamental após cinco perguntas”

(RIBEIRO, 2005)

5 Porquês

CERTO, S. C.; PETER, J. P. Administração estratégica: planejamento e implantação da estratégia. São Paulo: Makron Books, 1993.

GRAMMS, Lorena; LOTZ, Erika. Administração estratégica e planejamento. Curitiba: IBPEX, 2004.

CAMPOS, Vicente Falconi. TQC – Controle da Qualidade Total (no estilo japonês). Belo Horizonte, MG: Editora de Desenvolvimento Gerencial, 1999.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Planejamento estratégico: conceitos, metodologia, práticas. 26 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

KOTLER, Phipip; KELLER, Kevin Line. Administração de Marketing. 12. Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

Diga-nos mais sobre você

São apenas 4 campos obrigatórios(*)

Quer falar com a gente?

Nós ligamos para você!

Solicite uma ligação

Receba novidades do Qualiex

Contato

contato@forlogic.net

43 3132-4400

(8h - 18h, segunda a sexta)

Todos os direitos reservados ©Grupo Forlogic